Cintia Barreto
Cintia Barreto
O professor estuda | para aprender | que não deveria saber tanto.

Poesia : Uma Forma de Ver o Mundo

Versão para Impressão (Formato PDF)Envie a Um Amigo
Não é de hoje que os poetas são considerados sujeitos especiais. Na Grécia antiga, sabe-se que os poetas eram julgados seres intermediários entre deuses e homens. Também vejo assim os que fazem da linguagem instrumento de trabalho: semideuses. São seres etéreos que costuram a colcha da vida com fios de reflexão, a fim de minimizarem defeitos e dores.

É isso. Os poetas, ou melhor, todos que fazem poesia, se fazem necessários, principalmente, agora, em dias de violência, de desrespeito ao próximo, próximo ou distante. Vale lembrar que poesia é estado de espírito, é questão de atitude. Ver a vida e, fundamentalmente, as vicissitudes dela com as lentes da poesia é, sobretudo, entender-se participante de um espaço em que o tempo é relativo, em que as coisas são relativas, mas que todos fazemos parte de um só universo, de um só planeta. Somos sempre pequeninos se vistos de cima para baixo.

O que mais poderia, a todo momento, retirar-nos deste estado de letargia ou de euforia no qual nos encontramos em virtude da estrada vital, que não a poesia? Quando lemos um poema, escutamos uma música, observamos um quadro ou uma escultura, assistimos a um bom filme ou contemplamos a natureza, ela está ali - presente.

Verdade é que estamos vivendo tempos difíceis: tempos de guerra e de indigência. Estamos, de uma forma geral, infelizmente, acostumando-nos com a violência, com o ostracismo obrigatório. Somos cocooners, vivendo em frágeis casulos. Jogamo-nos embaixo da cama a qualquer estrondo ouvido. Acostumamo-nos a blindar os carros, a não irmos à escola em dias de rebelião, a não sairmos à noite, a dormirmos cedo e a acordarmos mais cedo ainda, a recebermos encomendas em casa e, assim, continuaríamos, se não houvesse a poesia a nos aliviar a alma e a nos mostrar um ângulo diferente da catástrofe ou da alegria. Se não fosse a poesia, camaradas, não sei como agüentaríamos presenciar tanta falta de harmonia.

No espaço poético, cabem todas as coisas, cabem amores, temores, certezas, dúvidas, realidade e fantasia, cabem a calma e a correria. Cabem também o sim e o não, o ser, o parecer ou o querer ser. Amigos, se não fosse a poesia, a vida seria muito mais triste, pois o que faz da vida algo mágico não é a falta de covardias, nem tampouco a constante satisfação. O que faz da vida Vida é a poesia que ela mesma nos fornece.

Dessa forma, em tempos de indigência, ausências, anuências e coincidências, a poesia é indispensável e, como diria, Cecília "Eu canto porque o instante existe / e a minha vida está completa./ Não sou alegre nem sou triste: / sou poeta."
Contatos | Licença de UsoCintia Barreto © 2001-2014 | Todos os Direitos Reservados